segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Represa Billings

Sistema Rio Grande/Billings


Localizada entre os municípios de São Paulo, Santo AndréSão Bernardo do CampoDiademaRibeirão Pires e Rio Grande da Serra.
Juntamente com o sistema Cantareira, o Sistema Rio Grande/Billings, são os maiores reservatórios de água da Região Metropolitana de São Paulo.
Formada pelo rio Grande ou Jurubatuba e outros pequenos córregos.
Foi idealizada em 27 de março de 1925 pelo engenheiro Asa White Kenney Billings,(dai seu nome) funcionário da extinta Light, a represa tinha o objetivo de armazenar água para gerar energia elétrica para a usina hidrelétrica Henry Borden, em Cubatão.
Inaugurada em 1927, e em 1940 recebeu acréscimo das águas dos Rios Tiete e Pinheiros através das usinas elevatórias da Traição e Pedreira.
crescimento populacional e industrial da Grande São Paulo sem planejamento causou grandes problemas ambientais principalmente nos anos 1950, 1970 e a represa tem ate hoje trechos poluídos com esgotos domésticos e industrial e também com metais pesados, por esse motivo somente os braços Taquecetuba e Riacho Grande são utilizados para abastecimento de água potável para as cidades de São PauloSão BernardoDiadema e Santo André.
Tilápiaslambariscarpas húngaras e traíras, entre outras espécies de peixes são encontradas, e a .pesca amadora é muito praticada.
Capacidade: 
995 milhões de m³, Total da Represa Billings, incluindo o braço do Rio Grande.
Área alagada: 106,6 km².
fonte: wikipedia 
fotos: mapio.net Hamilton Breternitz Furtado Balaio de Noticias

Rodovia dos Imigrantes.

Rodo anel Mario Covas.

Construção do Rodo Anel Mario Covas.


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Cambuci 


Desde o século 16, época em que a capital paulista ainda se chamava São Paulo de Piratininga, o bairro dividia a cidade e a zona rural.

O Cambuci era a entrada da cidade para quem subia a serra e passava pelo Córrego do Lavapés, que tem este nome justamente por ser, na época, onde se lavava os pés e se descansava por algum tempo, dando comida e água aos animais de carga, antes de entrar na área urbana.
A origem do nome do bairro Cambuci tem duas possíveis versões, uma delas diz que o nome veio do tupi-guarani "cambuci" que significa "pote", e outra  devido à fruta homônima, um componente da Mata Atlântica, cobertura vegetal original da região, e desta árvore, era extraída pelos moradores um fruto chamado "cambricique" utilizado na fabricação de pinga na época.

Para se chegar a São Paulo de Piratininga, a região de Cambuci era utilizada como trilha quando se deixava o Caminho do Mar vindo da cidade de Santos, e ai se formou um pequeno comércio com algumas chácaras, sítios e fazendas, a partir de 1850.

No inicio dos anos 1870 Dona Eulália Assunção e Silva mandou construir a Capela Nossa Senhora de Lourdes no mesmo estilo da gruta localizada na França em Lourdes, que existe ate hoje ao lado da Igreja da Gloria, gerando crescimento na região que fez surgir o bairro no ano de 1906.

Tendo surgido a partir de uma grande chácara, o bairro começou a se desenvolver com a criação do Museu do Ipiranga. 

A riqueza gerada pela produção do café, que teve seu auge por volta de 1870, atraiu muitos imigrantes, principalmente italianos,sírios e libaneses. 

Estes logo arranjaram emprego nas diversas fábricas construídas na região, cem anos depois, o bairro perde a característica fabril, pois a maioria das indústrias se transferiram para áreas afastadas, na região metropolitana.

Mudando suas características, o bairro passa a concentrar grande variedade de comércios no eixo do Largo do Cambuci e Avenida Lins de Vasconcelos.

Considerado por muitos como o berço do "Anarquismo" por ter sido palco de muitas manifestações de operários, e teve também participação na Revolta Paulista de 1924 quando da ocupação de rebeldes na Igreja da Glória liderada pelo general Isidoro Dias Lopes pela sua localização no ponto mais alto da região, durante 23 dias, os operários tomaram aquele espaço e enfrentaram as tropas legalistas para que, assim, tivessem a queda do presidente Artur Bernardes, sendo então um dos palcos mais ativos da revolução juntamente com o Brás e a Moóca.

O pintor Alfredo Volpi, foi o mais ilustre de seus moradores

fonte: wikipedia
fotos: Peter Louiz Erico Reale Galindo Pinterest danbrazil. Iba Mendes

Igreja da Gloria  no alto e Rio Tamanduateí antes da retificação. 1910

Fachada do Quartel do Terceiro Batalhão da Força Pública de São Paulo,  Rua José Bento, no Cambuci,
destaque Carlos Guimarães e Eloy Chaves, em 1914
1935



Década de 40 - Cine Cambucy na rua Clímaco Barbosa

Igreja da Gloria com a Capela de Nossa Senhora de Lourdes 

Vista do Hospital da Cruz Azul.

Largo do Cambuci 1950.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Artur Alvim
Zona Leste



A região de Artur Alvim, na Zona Leste de São Paulo, carrega uma curiosa história de desenvolvimento diretamente ligada à malha ferroviária da cidade.


No ano de 1900, Artur Alvim era uma região com grandes chaçaras conhecido como Santa Tereza, em 1921 a Estrada de Ferro Central do Brasil resolve construir o Ramal São Paulo, e para isso determinou ao Chefe da Seção de Engenharia  para projetar e construir o ramal que cortava a região, que em sua homenagem ficou conhecida como Bairro do Engenheiro Artur Alvim.

No dia 19 de agosto de 1921 a estação foi inaugurada ainda sem cobertura e uma Escola Municipal foi construída nas redondezas e que também recebeu seu nome(hoje já não existe).

Artur Alvim na Administração de Herculano Velloso Ferreira Pena, no ano de 1921 idealizou e projetou a construção do chamado Ramal de São Paulo da Estrada de Ferro Central do Brasil que cortava o bairro, e contribuiu para a construção da primeira escola municipal da região, antes a região, que até então era um amontoado de chácaras conhecido como Santa Teresa, desenvolveu-se a partir da vila surgida em torno da estação projetada por Alvim.

Graças a ferrovia um conglomerado de casas foi construída em seu redor e varias vilas se formaram como Santa Tereza, Campanela.

Em 1957 a administração da ferrovia passou para a Rede Ferroviária Federal o modal de cargas praticamente desativado a região ficou esquecida e só voltou a florescer com a chegada do Metro em 1987.

Outras duas vilas da região recebem o nome de Artur Alvim: Parque Artur Alvim e Jardim Artur Alvim, fazem parte do atual Distrito de Artur Alvim as já citadas e outras como: Cidade Antônio Estêvão de Carvalho(A.E.Carvalho), Conjunto Habitacional Padre José de Anchieta, Conjunto Residencial Padre Manuel da Nóbrega, Jardim Brasil, Jardim Cardoso, Jardim Coimbra, Jardim Marina, Jardim Nordeste, Jardim Olímpia, Jardim São João, Jardim São José e Vila Nhocuné. 

É atendido pela Linha 3 (vermelha) do Metrô de São Paulo pela Estação Artur Alvim

No passado, também foi atendido pela Linha 11 (coral) da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos pela Estação Engenheiro Artur Alvim, cujas plataformas desativadas em 27 de Maio de 2000, com a inauguração do Expresso Leste, podem ser observadas até hoje.

Em 26 de maio de 2000, o trem parou pela última vez na estação Artur Alvim, e a outrora conhecida como Oitava Parada, saiu de cena.

fontes: SP In Foco wikipedia historiaspaulistanas
fotos: SP In Foco Estações Ferroviárias pinterest





1978

A parada de Artur Alvim em 22/9/1943. Acervo Douglas Nascimento
Primeira Igreja de Santa Luzia.(infelizmente não consegui a data)

As únicas casas em 1943.Acervo Douglas Nascimento


sábado, 9 de setembro de 2017

Barra Funda 

Antiga Fazenda Iguapé



Propriedade de Antônio da Silva Prado(filho de Dona Veridiana da Silva Prado), o Barão de Iguapé, ate 1850, a fazenda após loteada deu origem a várias chácaras, entre elas a Chácara do Carvalho, pertencente ao Conselheiro Antônio Prado, neto do Barão de Iguapé, e que mais tarde se tornaria prefeito da cidade de São Paulo.

grandiosidade dessa região se comprova pelo fato do Conselheiro Prado ter convidado Luigi Puci projetista do Museu do Ipiranga, para projetar a casa sede da chácara, que anos depois também seria loteada e a casa seria adquirida pelo Instituto de Educação Bonni Consilii que existe ate hoje.

Junto com as outras áreas loteadas deram origem ao distrito da Barra Funda e a parte dos atuais distritos da Casa Verde e Freguesia do Ó.

Em seu inicio seus principais moradores  foram os italianos que trabalhavam em serrarias e oficinas mecânicas, principalmente para atenderem a população do elitizado bairro vizinho dos Campos Elísios e também trabalharam na ferrovia que seria inaugurada no final do século.

Em 1875 ocorreu a inauguração da Estação Barra Funda da Estrada de Ferro Sorocabana, e os armazém dos produtos que eram transportados do porto de Santos para o interior, e funcionando como escoamento da produção de café paulista, o que motivou o crescimento da região que se intensificou em 1892 com a inauguração da estação da São Paulo Railway, no local onde esta hoje o viaduto da Avenida Pacaembu.

Com o crescimento da população em 1920 as ferrovias passaram a transportar alem das cargas também passageiros.

No inicio do seculo XX nota-se um grande aumento da população de negros na região tradicionalmente italiana.

Em 7 de maio de 1902 e inaugurada a linha de Bonde ligando a região ao Largo de São Bento,  à grande facilidade no transporte e à proximidade dos elitizados bairro de Higienópolis e Campos Elísios, fez com que parte da elite paulista da indústria e do café se instalasse nessa região ao sul do bairro, entre a linha férrea e as margens do rio Tietê
Outro fator para o desenvolvimento da Barra Funda foi a instalação das "Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo", no bairro vizinho da Água Branca, em 1920 que oferecia grande oportunidades de emprego.
A região sofreu muito com a crise de 1929, com o fechamento de muitas industrias e a mudança das elites, que transformaram seus casarões em cortiços.

O bairro expôs para o país grandes paulistanos como Mário de Andrade, que nasceu e viveu no bairro, que conserva até hoje sua antiga residência e Inezita Barroso
bibliotecáriaprofessoracantoraatrizinstrumentistafolcloristaapresentadora de rádio e televisão,

Foi também o berço do mais antigo Cordão Carnavalesco, Grupo Carnavalesco Barra Funda, que foi perseguido pelo presidente Getúlio Vargas, que confundiu a associação já que os mesmos utilizavam camisas verdes e calças brancas, mesmas cores da ação Integralista de Plinio Salgado, que mudou o nome em 1953 para o cordão Camisa Verde e Branco , escola de samba a partir de 1972 ganhando o carnaval paulistano por 9 vezes e mantém sua sede no distrito.

Destaques turísticos e culturais: a já sitada Casa de Mario de Andrade, Teatro São Pedro inaugurado em 1917, o Memorial da América Latina, no antigo Largo da Banana, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, e os estúdios da Rede Record de televisão, a mais antiga do país em atividade,

Destaques de transportes: Terminal Intermodal Barra Funda, um dos maiores do país e com importância semelhante ao Terminal Tietê, pois reúne todas os tipos de transporte coletivo existentes na capital paulista: metrô Estação Palmeiras Barra Funda, trens das antigas linhas Sorocabana e Santos-Jundiaí, além de ônibus para viagens municipais, intermunicipais e internacionais. 

fonte: wikipedia
fotos: estaçõesferroviarias Leonardo Ré-Jorge OS2Warp Dornicke Pinterest Catraca Livre barraviva.


Cabine de chaves no pátio da Barra Funda em 1962.


Memorial da América Latina.


Terminal Barra Funda.



quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Independência 

O acaso premiou São Paulo como o local da independência do país, grande honra para a cidadezinha.
Pedro, vinha cansado, e que cavalgava uma mula, o animal mais apropriado para a subida da serra, com roupas simples, sem a pompa eternizada por Pedro Américo, em sua tela “Independência ou Morte” também conhecida como "O Grito do Ipiranga".
E o nome do riacho passou a ser citado pelos brasileiros ainda criancinhas, a partir do momento em que o poeta Osório Duque Estrada o incluiu no primeiro verso do ‘Hino Nacional’.
Ipiranga, ou Piranga, uma região de muito mato e algumas roças nas duas margens do riacho que lhe empresta o nome, por ali vinha de Santos o príncipe regente dom Pedro, no ano de 1822  e ia para São Paulo, não tinha como não passar pelo local. 
Ocorreu então ali o episódio que, ficou conhecido dos brasileiros e conferiu à passagem do personagem pelo lugar um significado central na história do Brasil.
Emissários que estavam no seu encalço entregaram-lhe ali correspondência de Lisboa que exigia sua volta a Portugal juntamente com o Decreto de D.Leopoldina então Regente pela ausência do Príncipe declarando o Brasil separado de Portugal, e ainda carta de José Bonifácio.
"Tirem suas braçadeiras, soldados. Viva independência, à liberdade e à separação do Brasil." Ele desembainhou sua espada afirmando que "Para o meu sangue, minha honra, meu Deus, eu juro dar ao Brasil a liberdade" e gritou: "Independência ou morte".
fontes: seuhistory wikipedia .historiadasartes
foto: .historiadasartes
Independência ou Morte, 1888, óleo sobre tela, 415 cm x 760 cm, Pedro Américo, Museu Paulista da USP, São Paulo.


domingo, 3 de setembro de 2017

Cemitério da Vila Formosa

O segundo maior cemitério do mundo, localizado na zona leste de São Paulo.

Fundado em 20 de maio de 1949, o Cemitério da Vila Formosa, ocupa uma área de 763.175 m² e desde a sua inauguração, já foram realizados mais de 1,5 milhão de sepultamentos. 
É uma necrópole usada, sobretudo, para enterros de pessoas das classe C, D e E, com vinte e quatro salas para os velórios, todo mês realizam-se uma média de 275 sepultamentos.
Ocupa a quarta maior área verde municipal da Cidade de São Paulo na divisa dos distritos de Vila Formosa e Carrão, só sendo superado pelos parques Anhanguera, Ibirapuera e o Parque do Carmo, e a mais importante área verde da zona leste da cidade, por ser muito arborizado é usado diariamente para o lazer, principalmente das crianças e dos adeptos das caminhadas e corridas. 
Existe uma quadra no cemitério destinada apenas a órgãos amputados, como pernas, braços e até dedos.
Débora Campo de Oliveira, de apenas 5 anos, foi morta e esquartejada por uma vizinha que tinha ciúmes do carinho que o marido sentia por ela, em janeiro 1983, e não demorou muito para que ganhasse status de milagreira e seu tumulo virou ponto de peregrinação a administração do cemitério decidiu reservar toda a quadra para Débora, que tem seu túmulo isolado em uma das áreas do cemitério, além das velas, o túmulo da criança sempre está decorado com brinquedos, doces e até uma mamadeira.

A sepultura do funkeiro, MC Daleste é uma da mais visitada do cemitério, em julho de 2013 adolescentes começaram a se reunir praticamente todas as tardes para, ao som de funk, cantar e dançar em homenagem ao morto com o passar do tempo essa reuniões pararam de acontecer mas o tumulo ainda e o mais visitado por ser a única celebridade sepultada no local.

Documentos comprovam que ao menos 11 vítimas da ditadura 
foram enterradas como indigentes no Vila Formosa entre 1969 e 1970: 
fontes: wikipedia noticias.terra.
fotos: Vila Formosa Web scoopnest.com Notícias - R7.
Tumulo da menina Débora.
O túmulo do cantor de funk MC Daleste, assassinado em 2013




Carrão

Distrito frequentemente chamado de "Vila Carrão"


Seu nome e uma homenagem a João da Silva Carrão, o "Conselheiro" Carrão, ex-presidente da Província de São Paulo.
Essas terras de acordo com alguns historiadores faziam parte da indefinida Sesmaria de João Ramalho, que ao longo dos anos passou pelas mãos de muitos proprietários e recebeu nomes como Tucuri, Bom Retiro e Chácara Carrão, aos poucos o cenário agrícola foi dando lugar ao progresso.
Iniciou-se de um antigo sítio à beira de uma trilha por onde iam e vinham os gentios da aldeia de Piratininga à de Biacica ou Imbiacica (hoje o distrito de Itaim PaulistaVila Curuçá e parte leste de Jardim Helena) e pelos bandeirantes em busca de ouro e índios para escravizar.
Fez parte do Tatuapé ate 1990 quando foi emancipado pela prefeita Luíza Erundina , curiosamente, isso fez que o distrito perdesse a estação de metrô, já que com essa nova divisão, a estação Carrão ficou no Tatuapé.
O Carrão é conhecido pela sua grande comunidade de nipo-brasileiros, a maioria oriunda da província de Okinawa
A  Associação Okinawa Vila Carrão, fundada em 1957, contava em 2011 com 3.000 associados, realizando anualmente Okinawa Festival no Clube Escola Vila Manchester, figura hoje como um dos maiores eventos promovidos pela colônia japonesa na cidade de São Paulo, fazendo parte do Calendário Oficial de Eventos do Município 
O carrão e dividido em sete bairros: Carrãozinho, Chácara Califórnia, Chácara Santo Antônio, Chácara Santo Estêvão, Vila CarrãoVila Nova Manchester, e Vila Santa Isabel.
Cemitério da Vila Formosa, o maior cemitério da América Latina e principal área verde do distrito na divisa com o Distrito da Vila Formosa..
fonte: wikipwdia
fotos: Raphael Igor portalnikkei Ademilar Prefeitura de São Paulo


1956 - Rua Xiririca na Vila Carrão.


Pinheiros 

Alguns historiadores consideram como o mais antigo dos bairros de São Paulo.

A área fazia parte de uma enorme sesmaria  que se estende desde o Butantã até parte do Pacaembu doada por Martim Afonso de Sousa a Pero de Góis, em 1532, cujas terras se estendiam do Butantã à cabeceira do riacho Água Branca
Em 1584, essas terras passaram a pertencer a Fernão Dias Paes, responsável pela expulsão provisória dos jesuítas do local, pois como bandeirante não concordava com a postura jesuíta contra a escravização dos índios.
Após a chegada dos jesuítas ao planalto de Piratininga que originaria a cidade de São Paulo, um grupo indígena se instalou, por volta de 1560, às margens do rio Grande, posteriormente conhecido como rio Pinheiros no local hoje ocupado pelo largo de Pinheiros.
A origem do nome, ao contrario do que se imagina não se deve a existência de araucárias na região (embora existissem algumas)  e sim a fato dos índios tupi chamarem o rio de 
Pi-iêrê, que significa "derramado", em alusão ao transbordamento das águas que alagava as margens, e por corruptela, a palavra teria se transformado em Pinheiros.
Parte da aldeia ficava no atual Largo da Batata, que não era atingido pelas habituais inundações, essa região foi por muito tempo conhecida como Farrapos.
Conhecida como Aldeia dos Pinheiros, ficava isolada da vila paulistana devido à topografia da região, mas apesar disso era usada para passagem pelos bandeirantes e também por outros indígenas por ser um local onde as margens do rio se estreitava, facilitando a passagem, diversas pontes foram construídas e reconstruídas a partir de 1632 por causa das enchentes ate que em 1865 foi construída uma ponte de metal.
No inicio do seculo XVII foi aberta o "Caminho de Pinheiros" atualmente as ruas Butantã, Largo de Pinheiros, rua Cardeal Arcoverde e  Rua da Consolação, que ajudou no desenvolvimento econômico e populacional do bairro juntamente com o sítio do Capão, uma propriedade altamente produtiva que se localizava nas terras da sesmaria, principalmente quando esta se encontrava sob comando de Fernão Dias Paes Leme, o "Caçador de Esmeraldas" e neto do antigo dono da sesmaria.
Em 1786 iniciou-se a construção de estrada ligando Pinheiros aos campos de Santo Amaro, o que hoje corresponde à Av. Faria Lima, posteriormente, a estrada foi estendida até a Lapa, e este novo trecho recebeu o nome de Estrada da Boiada, hoje Av. Diógenes Ribeiro de Lima.
Pouco habitado ate final do seculo XVIII economia era baseada em agricultura, carvoarias e olarias, sua  primeira padaria foi inaugurada em 1890.
A linha de Bondes foi inaugurada em 1904 mas somente ate a esquina da Capote Valente com Teodoro Sampaio, só a partir de 1909 chegaram ao Largo de Pinheiros, apos a drenagem e aterro da área.
Em 1910 foi inaugurado o Mercado de Pinheiros que era apenas uma área cercada de arames farpados, e um pequeno galpão.
No final do seculo XIX recebeu grande quantidade de imigrantes italianos e no inicio do XX de japoneses, quando o bairro se firmou como uma região de classe média, com grande presença de comércio e indústrias.
Em 1915, foi firmado um acordo entre o governo do estado de estado de São Paulo e a Fundação Rockefeller para a construção da sede da Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, acordo que também previa a criação de um hospital para ser utilizado no aprimoramento dos estudantes e ao mesmo tempo no atendimento da população mais carente da capital paulista e até do interior do estado. 
Este hospital, que por uma série de dificuldades começou a ser construído apenas em 1938, foi chamado de Hospital das Clínicas e foi inaugurado oficialmente em 19 de abril de 1944,  hospital que ainda é um dos principais da cidade e considerado o maior complexo hospitalar da América Latina.
Por volta de 1920 é fundada a Sociedade Hípica Paulista, que se tornou um dos grandes pontos de encontro da elite paulistana até meados do século XX.
Inaugurado em novembro de 1966 o Shopping Iguatemi o primeiro do país.
fonte: wikipedia
fotos: Alexandre Giesbrecht things.I.like Deco97 estadao. gazetadepinheiros. Pinterest

Av. Rebouças.

Hospital das Clinicas.
 Rio Pinheiros - 1930

1916

largo de pinheiros - 1900.