domingo, 20 de novembro de 2016

O Palácio dos Campos Elísios (antigo "Palacete Elias Chaves")
Avenida Rio Branco, 1289 na Chácara do Bambu (atual Campos Elísios)
Projetado pelo arquiteto alemão Matheus Häusler, para ser residência do cafeicultor e político Elias Antônio Pacheco e Chaves, iniciado em 1890 e finalizado em 1899, construindo com nítida influência francesa do século XVII, com materiais trazidos de Veneza(Itália), Sévres(França) e Estados Unidos.
Em 1912, o governo estadual adquiriu o imóvel, e em 1915 passou a ser chamado "Palácio dos Campos Elísios" , quando tornou-se a sede do Governo e a residência oficial do governador do Estado de São Paulo, ano que foi circundado por murros altos em substituição aos gradis.
Em 1965, devido a incêndio que quase o destruiu, tanto a sede do governo, e a residência do governador, foram transferida para o Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi.
Tombado pelo CONDEPHAAT em 1977.
fonte: Secretaria de Estado da Cultura e Wikipédia.

Campos Elísios

Foi o primeiro bairro planejado da cidade, onde se fixaram vários dos antigos e abastados fazendeiros do café.

O bairro dos Campos Elísios foi idealizado pelos empresários, o suíço Frederico Glete e o alemão Victor Nothmann, que adquiriram antiga chácara e a lotearam em 1878.

A localização era privilegiada: no Distrito de Santa Cecíliaregião centralpróximo da estação de trem inaugurada no mesmo ano, a atual Estação Júlio Prestes, e não muito longe do centro da cidade e também do principal hospital da cidade a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

No início do século XX, os Campos Elísios eram um bairro elegante, abrigando as mansões e palacetes dos barões do café e a residência oficial do Presidente do Estado de São Paulo (atual governador do Estado): o Palácio dos Campos Elísios, localizado na antiga Alameda dos Bambus atual, Avenida Rio Branco, uma de suas vias mais importantes.

Liceu Coração de Jesus, renomada instituição pedagógica também se instalou na área em 1885.

A debandada da elite remanescente para os "novos bairros" como Higienópolis e região da Avenida Paulista e para os bairros construídos pela Cia City, Jardins, Pacaembu, Alto da Lapa e Alto de Pinheiros se deu por conta da crescente ocupação das áreas da várzea do Rio Tietê (Barra Funda e Bom Retiro) pela população operária, que passou a usar os Campos Elíseos como rota para alcançar o Centro e frequentar os equipamentos públicos como o Jardim da Luz e praças.

O processo de decadência se agravou com o esvaziamento do centro da cidade, a partir da década de 1970, com a transferência de muitos escritórios para a região da Avenida Paulista.

A partir dos anos 30, os Campos Elísios com as dificuldades dos cafeicultores, e seus herdeiros que repartiam as heranças, e que optaram por mudarem para novos bairros, muitos casarões e mansões foram demolidos, cedendo espaço a prédios de apartamentos.
Outros continuaram de pé, sendo alugados e sublocados, transformando-se em pensões, cortiços e moradias coletivas precárias.

Foto: quandoacidade cão de guarda pinterest
Fonte: Wikipédia
Palácio dos Campos Elísios, antigo Palacete Elias Chaves.


Casarão de Henrique Dumont, irmão de Santos Dumont, que se vê no veiculo que esta saindo no portão.





sábado, 19 de novembro de 2016

Palacete Família Santos Dumont.
Na foto de 1900 aparece Santos Dumont saindo no portão acompanhado de uma senhora em seu automóvel.
Na alameda Cleveland 601, bairro de Campos Elísios, a residência de Alberto Santos Dumont e de seu irmão Henrique Santos Dumont.
Como moradia de um dos homens mais ricos do Brasil, o palacete foi decorado com o que havia de melhor na época, no Brasil e no mundo. Madeiras nobres, mármores italianos, pastilhas de mosaico veneziano revestindo o piso do jardim, uma profusão de magníficas pinturas murais - com filetes de ouro - e de papéis de parede importados recobrindo as paredes de praticamente todos os cômodos.
Apos a Morte de Henrique foi vendido para o Colégio Stafford,(Internato), quando foram construídos vários anexos, depois de alguns anos foi desapropriado e emprestado a Sociedade Pestalozzi, quando se mudou para a Vila Guilherme, o casarão ficou abandonado e foi invadido pelos sem-teto, que aí permaneceram até 1990, em 1995 os sem-teto invadiram novamente o imóvel, ainda abandonado pelo governo e já completamente dilapidado. só em 2001, com a reintegração definitiva, foram retiradas nada menos que 400 pessoas(?).
O imóvel foi então cedido à FPHESP (Fundação Patrimônio Histórico e Energético de São Paulo) - que deu início às obras de restauração para transformá-lo em sua nova sede, foi necessário remover toneladas de lixo e escombros, e resolver o problema dos ratos que infestava o imóvel.
fonte: Piratininga-org
foto;ocaodeguardanoticias
Henrique Santos Dumont e seu Peugeot, que em 1891, ganhou do seu irmão Alberto Santos Dumont, quando fez uma viagem turística à Europa, e tornou-se o primeiro proprietário de um automóvel de motor a explosão no Brasil.
O carro um Peugeot movido a gasolina com motor Daimler de 3,5 cavalos e dois cilindros em V. A placa do veículo era P-1, a primeira do país.
O primeiro prefeito de São Paulo, Antonio da Silva Prado, achou por bem regulamentar os veículos exigindo pela lei Nº 493 de 26 de outubro de 1900, que os mesmos usassem placas de identificação mediante pagamento de taxa obrigatória, Henrique Santos Dumont e alegou que as ruas da cidade estavam em condições precárias para circulação dos novos veículos e deste modo requereu a isenção datado de 1901, conforme oficio abaixo.
“...o suplicante sendo o primeiro introdutor desse sistema de veículo na cidade, o fez com sacrifício de seus interesses e mais para dotar a nossa cidade com esse exemplar de veículo “automobile”; porquanto após qualquer excursão, por mais curtas que sejam, são necessários dispendiosos reparos no veículo devido à má adaptação de nosso calçamento pelo qual são prejudicados sempre os pneus das rodas. Além disso o suplicante apenas tem feito raras excursões, a título de experiência, e ainda não conseguiu utilizar de seu carro “automobile” para uso normal, assim como um outro proprietário de um “automobile” que existe aqui também não o conseguiu”.
A crítica não agradou o prefeito que determinou a cassação da licença de Henrique Santos Dumont, perdendo o direito de possuir a placa P-1, a primeira usada em automóveis, que passou em 1903 ao industrial Conde Francisco Matarazzo, ano em que a cidade possuía 16 automóveis registrados.
fonte: carlosfatorelli
foto: Santa Rosa de Viterbo.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Vila Maria Zélia em 1917
Belenzinho
Arquitetada por Paul Pedraurrieux, para o medico e industrial Jorge Street, fundador da Companhia Nacional de Tecidos de Juta, inicialmente(1896) no Bairro de Santana, em 1904 construindo nova unidade no Belenzinho.
A vila começou a ser construída em 1912 e inaugurada em 1917, para servir de moradia para os empregados.
Frase de Jorge Street:
“a criança abandonada e desamparada constitui um grande perigo de se transformar em breve uma criança delinquente”; “A oficina é preferível à rua”.
Por esse motivo deu prioridade a educação na Vila construindo 3 escolas, a dos Meninos, a das Meninas e o Jardim da Infância e Creche, que atendiam também crianças de outras localidades próximas e recebiam tratamento médicos gratuito ate os 7 anos de idade,
O ensino das meninas eram supervisionados por Dona Zélia Fria Street, esposa de Jorge Street.
O nome da vila e uma homenagem a filha de Jorge e Zélia falecida em consequência de tuberculose aos 16 anos em 1915.
fonte: Wikipedia e grupoxix
Foto sãopauloantiga
Foto sãopauloantiga

Palacete Jorge Street.
Alameda Glete, 463 - Campos Elíseos, sombreado pela bela e frondosa Figueira da Glete, uma árvore protegida por lei estadual.
Nele funcionou o extinto Curso de Geologia e os cursos de História Natural e de Química da extinta Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, e ainda o laboratório de Psicologia Experimental,
Construído no final do século 19 nos áureos tempos da cultura do café, inexplicavelmente o palacete foi demolido no inicio da década de 70, para dar lugar a um estacionamento que ainda funciona.
foto de 1926.
fonte: figueiradaglete
Parque Shangai.
O Parque Shangai, parque de diversões que funcionou no bairro do Glicério, da década de 1940 até novembro de 1968 tinha montanha-russa, carrossel, autopista, trem fantasma, túnel do amor e outros brinquedos e também feiras e exposições como Feira das Indústrias, Festa do Jornaleiro (evento da Folha de São Paulo) e as festas juninas organizadas pela Portuguesa,e apresentações musicais e festas de carnaval.
Infelizmente a região onde existia o parque e hoje a região mais degradada da Cidade de São Paulo.
foto de 1958.
fonte: São Pauloantiga e Wikipédia.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Lacta:
A Lacta completou 100 anos no mês de janeiro de 2012. Sua história começou na Rua José Antônio Coelho, na Vila Mariana, fundada pelo cônsul suíço Achilles Izell, seu primeiro produto em forma de meia lua conhecido como Chocoleite, era vendido em loja própria na rua Domingos de Morais.
Por motivo de um incêndio em 1925 ficou fora do mercado por 1 ano.
Durante a 1ª grande Guerra a fabrica foi vendida para, A Zanotta, Lorenzi & Cia. e passou a fabricar também o o "Guaraná Espumante" depois de grandes dificuldade nos anos 30 quando encarava a forte concorrência que o Guaraná Espumante sofria do seu rival Guaraná Champanhe Antárctica, lançado em 1921.
Declararam falência em 1937, no ano seguinte, o grupo Diários Associados, do jornalista e empresário Assis Chateaubriand, assumiu o controle da empresa. juntamente com o politico Ademar de Barros que apos sua morte passou para seu filho Ademar de Barros Filho.
Em 1940, Lacta foi uma das pioneiras na criação de ovos de Páscoa.
1957, a empresa mudou para o Brooklin, e para Curitiba em 2003
Em 1996, após brigas entre a família, a empresa foi vendida à Kraft Foods, e em 2012, para Mondelēz International.
fonte VejaSP(foto) e Wikipédia.

Em caso de incêndio, mulheres, homens e crianças ficavam em fila, e, do poço mais próximo iam os baldes passando de mão em mão, até chegarem ao prédio em chamas.
Em dezembro de 1850, na Rua do Rosário, hoje XV de Novembro, houve um incêndio, que foi extinto por uma bomba manual emprestada por um francês chamado Marcelino Gerard, em 1851 foram tomadas as primeiras posturas municipais relativas aos casos de fogo em consequência do incêndio havido no ano anterior com a aquisição de duas bombas. No ano seguinte, ainda em decorrência de tal incêndio, é apresentado na Assembleia Provincial, pelo então Brigadeiro Machado de Oliveira um Projeto de Lei de um Código sobre Prevenção de Incêndios. Nesse Código estavam regulamentados os serviços de prevenção e extinção de incêndios, ficando o povo, por lei, obrigado a cooperar com a Polícia nos dias de incêndio. Em 1861, ocorre um incêndio em uma livraria na Rua do Carmo e em 1863 ocorre novo incêndio, desta vez na Rua do Comércio em uma loja de ferragens. Já em 1870 um barril de pólvora explode no centro da cidade de São Paulo.
E foi assim, em meio a paliativos, que chegou o fatídico 15 de fevereiro de 1880, trazendo o incêndio que destruiu a biblioteca da Faculdade de Direito e o arquivo do Convento de São Francisco, no tradicional largo da capital paulista.
No dia seguinte, num indignado discurso, o deputado Ferreira Braga propôs a criação de uma Seção de Bombeiros, composta de 20 homens, vinculada à Companhia dos Urbanos. A lei foi votada e aprovada, tendo sido publicada em 10 de março de 1880, data que determina a criação Oficial do Corpo de Bombeiros de São Paulo.
Em 1887, A Seção de Bombeiros funcionava no prédio da Rua do Trem (hoje Rua Anita Garibaldi).
Em 1910, foram adquiridos na Inglaterra os primeiros veículos automotores, junto à empresa Merryweather & Sons.
fonte:Corpo de Bombeiros da Policia Militar de São Paulo.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

CIA. CITY Uma empresa que faz parte da historia da Cidade de São Paulo.
Em 1911, foi fundada a empresa de urbanização com sede em Londres, com investidores franceses, ingleses e brasileiros. Juntos adquirem mais de 15 milhões de metros quadrados no perímetro urbano de São Paulo. No ano seguinte, 1912, a empresa instala-se definitivamente na capital paulista com o nome City of Sao Paulo Improvements and Freehold Land Company Ltd..
fonte:site da empresa.
Pacaembu.
“… bairro mais belo e aristocrático de São Paulo, orgulho da capital paulista.”(slogan da Cia. City)

A Sesmaria do Pacaembu foi doada aos jesuítas por Martim Afonso de Sousa no século XVI próximo a um riacho que os índios chamavam de "paã-nga-he-nb-bu" que em Tupi significa "atoleiro".
No ano de 1912, a empresa inglesa City of São Paulo Improvements and Freehold Company Limited adquiriu terrenos em varias áreas de São Paulo e uma delas seria o futuro bairro do Pacaembu um plano arquitetônico ambicioso, nunca visto na cidade e bem maior do que o pioneiro Jardim América, foi embargado de início pela Câmara Municipal, mas o projeto foi retomado em 1925, quando a Cia. City começou o loteamento e a urbanização da região.
A primeira providencia foi a canalização do ribeirão Pacaembu, e a formação da primeira via do bairro, a Avenida Pacaembu.
Em 1935, a empresa inglesa doou, ao poder público, um terreno 75 000 metros quadrados para a construção do Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho.
fonte: Wikipédia.
Sociedade Paulista de Trote.
Em 1937, Guilherme Praun, dono da área que hoje é a Vila Guilherme, implantou o Club Hypico de Vila Guilherme, com seu falecimento no ano seguinte o club ficou fechado ate 1944, quando foi vendido para a Sociedade Paulista de Trote (SPT), mas a partir de 1947 é que os páreos tornaram-se oficiais com o registro no Ministério da Agricultura.
Única pista oficial no Brasil destinada a prática do trote, em forma de elipse e com suave inclinação no interior de suas curvas, tinha originalmente 804,5 metros de extensão.
Nas décadas de 1950 e 1960, o local frequentado pela elite paulistana, que tinha como hobbie realizar apostas nos guichês do local. A derrocada de apostas no local começou a decair na década de 1970, dando início a decadência da SPT.
Em 1986, teve início a desapropriação da área, em 1991, foi criado o Parque Da Vila Guilherme somente na parte sul da área, na parte norte continuou as atividades pertinentes a SPT.
Quando a SPT encerrou as atividade, o terreno abandonado, foi invadido por +ou- 50 sem-tetos até 2004 e desde 2005, a área passou para a Prefeitura de São Paulo, que iniciou no mesmo ano uma grande obra de integração da área da SPT com o Parque da Vila Guilherme, formando o novo Parque do Trote.
foto: Acervo Estadão
fonte: Wikipédia
Butantã
Oito décadas atrás, era necessário atravessar o Rio Pinheiros em uma balsa para chegar ao bairro do Butantã. Só em 1928 foi construída a Ponte Cidade Jardim, que passou a ligar as duas margens do rio e proporcionou a chegada de transporte público à região. Com o objetivo de facilitar a locomoção de seus funcionários, o Instituto Butantan fabricou um ônibus especial que fazia o trajeto até o bairro de Pinheiros. A foto acima, publicada no livro 450 Anos de História da Medicina Paulistana, mostra ao fundo o Pavilhão Lemos Monteiro, inaugurado em 1919. Antiga casa do cientista Vital Brasil, o imóvel abriga hoje o Centro de Pesquisa e Formação em Imunologia Otto Guilherme Bier.
Fonte:Memórias Paulistanas

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Represa de Guarapiranga

Região do Bairro do Socorro.



Inicialmente conhecida por Represa de Santo Amaro, teve sua construção iniciada em 1906 pela São Paulo Tramway Light and Power Co. e inaugurada em 1908, sua finalidade era atender às necessidades de produção de energia elétrica na Usina Hidrelétrica de Parnaíba, e a partir de 1928 passou a servir como reservatório para o abastecimento de água potável para região metropolitana de São Paulo. Oferecendo e abastecendo água para mais de 4 milhões de pessoas, e ainda utilizada para o controle das cheias dos rios da região e como local de esportes náuticos e lazer ao longo de seu percurso de 28 quilômetros de margens, destacando-se a importância nos esportes de velaː Foi o local de disputa do torneio de vela dos Jogos Pan-Americanos de 1963, há vários clubes de iatismo no seu entorno.
Situado na divisa entre os municípios de São Paulo (Zona Sul), Itapecerica da Serra e Embu-Guaçu
Formada pelo represamento do Rio Guarapiranga e seus principais tributários o rio Embu-Guaçu e o rio Embu-mirim
Rio Guarapiranga com o Rio Grande (também chamado rio Jurubatuba) dão origem ao Rio Pinheiros.
No mesmo ano de sua inauguração a represa foi o local de chegada dos aviadores italianos que fizeram uma das primeiras travessias aéreas do Atlântico Sulː Francesco de Pinedo, Carlo del Prete e Vitale Zacchetti.
Área alagada: 26,6 km²
fonte: wikipedia

fotos: Hamilton Breternitz Furtado Leda Zogbi
À esquerda, o rio Jurubatuba; à direita, o Rio Pinheiros; no centro, o Rio Guarapiranga; ao fundo, a Represa de Guarapiranga. 


foto de 1936 Leda Zogbi,
O Vale do Anhangabaú e o Buraco do Ademar, em 1974 (foto do JT).
Projetado em 1930, por Francisco Prestes Maia, só foi construída entre outubro de 1948 e setembro de 1950, construido na gestão do Governador Ademar Pereira de Barros embora os custos tenha sido pago pela prefeitura.
O logradouro era considerado ponto crítico de enchentes na cidade, apesar de promessas de solução desse problema (como em abril de 1978, e até um barco de salvamento circulou por ali durante uma enchente em 1985. As enchentes eram causadas pela baixa capacidade da galeria de águas pluviais da passagem.
fonte Wikipedia.

domingo, 13 de novembro de 2016

Os irmãos Grassi.
Luigi e Fortunato Grassi (21 e 14 anos respectivamente) iniciaram suas atividades com uma pequena oficina na Rua Barão de Itapetininga, 37, composta de uma bigorna, uma forja e uma máquina de furar, destinada á fabricação de tíliburis, coches, troles, vitórias, landóles e outros veículos da época, carruagens de tração animal, empregados no princípio do século passado, como transporte único e privado e de aluguel pelos paulistanos.
Apesar de novos traziam alguma experiencia quando chegaram da Itália.
O primeiro automóvel Fiat que apareceu no Brasil foi montado com exclusividade nas oficinas dos irmãos Grassi em 1907, em 1908, tornam-se representantes da fábrica de automóveis italiana Ítala (os Grassi importavam veículos completos, chassis – fabricando aqui as carrocerias. Surgem então os modelos Landolé Limousine, Vitória e o Double Phaeton – contudo, ainda continuavam a construir carruagens, que eram predominante nas ruas de São Paulo.
Em 1910, a empresa construiu, para a Hospedaria dos Imigrantes, sobre um chassi De Dion Bouton da França, o primeiro ônibus do país, que tinha a capacidade para transportar 45 passageiros.
Em 1921 muda para a rua Conselheiro Nébias, 179, e depois para a rua General Osório.
A Grassi encerraria suas atividades industriais no ano de 1969 (na fábrica da Vila Leopoldina).
fonte: Portal Ônibus Paraibanos.
Chácara Baruel.
Localizada no Alto de Santanazona norte da cidade de São Paulo.
Construído em 1879 em estilo normando, de agricultor Francisco Antônio Baruel, em 1852, ele adquiriu um alqueire da região, o que corresponde a 24.250m² de terreno, lá, ele cultivou arroz, feijão, milho e cana, a casa que nunca foi usada como residencia, tempos depois foi um orfanato dirigido por Pérola Byington, atualmente uma clínica fisioterápica.
Em 1925 ele construiu uma casa para a filha, Maria Baruel Galvão Bueno, conhecido como Palacete Baruel, onde hoje e a Biblioteca Narbal Fontes.
fonte: wiquipedia e vejasp.


Asilo de Mendicidade D. Pedro II.
Av. Guapira, 2.674 Jaçanã
No ano de 1885 já funcionava no prédio da Rua da Glória, junto ao hospital da Santa Casa de São Paulo, o Asilo de Mendicidade D. Pedro II, 1904 surge a ideia de transferir para um lugar com mais espaço e fora do centro de São Paulo e como a Sta Casa ja dispunha de terreno no Guapira(hoje Jaçanã) encomendou u projeto ao arquiteto Ramos de Azevedo para construção do Asilo dos Inválidos, inaugurado em 2 de julho de 1911, transformado no Hospital Geriátrico e de Convalescentes D. Pedro II é referência para tratamento da doença de Alzheimer desde 2003.
Hoje, aos 105 anos, o Hospital Geriátrico possui 303 leitos e também e realizado trabalho de recreação, que permitem a ocupação do tempo ocioso dos pacientes com ações de sociabilidade e interação, refletindo diretamente na melhora da qualidade de vida.
Quando adolescente com minha irmã e alguns amigos tínhamos um grupo que fazia visitas todos os finais de semana e feriados, levávamos jornais e revistas e fazíamos leitura para os que não sabiam ou não conseguiam ler.
fonte: site da stacasasp

sábado, 12 de novembro de 2016

Casa de Portugal de São Paulo.
Fundada no dia 13 de Julho de 1935, por portugueses e luso-brasileiros, com a intenção de ser um apoio a comunidade portuguesa no Brasil e desde o principio fez acordo com a Beneficência Portuguesa e tinha também a intenção de ser a “Casa Mãe”, na defesa da língua portuguesa.
O edifício na Av. da Liberdade, 602 - Centro foi projetado pelo arquiteto Ricardo Severo, sócio de Ramos de Azevedo, foi inaugurado em 1956 e é referência na área da promoção cultural.
No edifício sede da Casa de Portugal funcionam também o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo, a Câmara Portuguesa de Comércio e a Provedoria da Comunidade Portuguesa.
Sempre procurando estreitar os laços históricos, culturais, comerciais e econômicos existentes entre Brasil e Portugal.
fonte site: casadeportugalsp




Estádio Alfredo Schurig conhecido com Parque São Jorge.
Inaugurado em 22 de julho de 1928 em um jogo contra o América do Rio que terminou em empate de 2X2.
O estádio foi construído com a ajuda financeira dos sócios do Corinthians, sendo que o principal doador foi Alfredo Shuring importante comerciante que tinha loja de parafusos na rua Florêncio de Abreu e era morador da Cidade de Jacareí no Vale do Paraíba. que comprou o terreno em 1926 com a quantia de 33.000 contos de réis.
Foto: Estádio Alfredo Schurig na Revista Corinthians - 17/05/1931. Crédito: Biblioteca S. C. Corinthians Paulista
Outras informações: Wikipédia

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

ESCOLA SENAI "ROBERTO SIMONSEN"

Rua Monsenhor Andrade, 298 - Brás

02 de agosto de 1943, a Escola SENAI “Roberto Simonsen” iniciava suas atividades em dois endereços próximos ao atual.
O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SENAI, foi criado em 22 de Janeiro de 1942 através de Decreto Lei, e oferece cursos de aprendizagem industrial para as qualificações de Eletricista de Manutenção, Mecânico de Usinagem, Marceneiro e Ferramenteiro de Corte, Dobra e Repuxo, e Técnicos em Mecatrônica, Eletroeletrônica, Mecânica e Telecomunicações.

(fonte) Portal Senai. foto 1949.

Gasômetro
Quando o bonde descia da Praça da Sé, entrando pela Rangel Pestana, a esquerda via –se um enorme caldeirão de aço, “Aquele caldeirão” nada mais era do que o Gasômetro de São Paulo, próximo a Avenida Mercúrio, onde muitas mães levavam seus filhos com bronquite para aspirar o gás que exalava.
O Complexo do antigo Gasômetro de São Paulo foi inaugurado em 1890 pela empresa inglesa The São Paulo Gás Company, e funcionou de 1890 a 1972.
Da virada do século XIX para os anos 20, os combustores a gás já haviam substituído as antigas lamparinas a azeite nos postes da cidade trocados pela iluminação elétrica em 1937.
(foto:Casa das Retortas 1980 e Reservatório 1950?)
fonte: REVISTA GGN e wikipedia.


Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência.
“Beneficência Portuguesa” cresceu com a cidade de São Paulo. A instituição ultrapassou a fronteira médico-hospitalar, tornou-se patrimônio cultural do Brasil.
(Historiador Pedro Calmon)
Fundada por 168 portugueses, a Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência é hoje o maior centro hospitalar privado do Brasil.
Endereços:
Rua Maestro Cardim, 769
Bela Vista- São Paulo.
R. Martiniano de Carvalho, 965
Bela Vista- São Paulo.
Rua General Sócrates, 145
Penha - São Paulo.
(fonte: Revista Lusofonia, e site do hospital)
foto Hospital São Joaquim. (1876)

Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.
Não há registros da data exata de sua fundação, mas estima-se que tenha sido criada por volta de 1560, a Irmandade já esteve alojada no Largo da Misericórdia, Chácara dos Ingleses e Rua da Glória, até ser inaugurado, em 1884, o Hospital Central na Rua Marquês de Itu, nº 579, Bairro Vila Buarque.
A Irmandade da Santa Casa de São Paulo, ocupa uma área total de 232.386,27m², sendo 150.681,09m² de área construída, distribuídas em suas seis unidades, com 92.499,09m² no quadrilátero central da Vila Buarque.
Foto de 1884.
Fonte:Site da Sta Casa.